quarta-feira, 30 de julho de 2008

Chuva de asas




CINCO ÚLTIMOS POEMAS PARA CRIS

1

Agora escrevo pássaros.

Não os vejo chegar, não escolho,

de repente estão aí,

um bando de palavras

a pousar

uma

por

uma

nos arames da página,

entre chilreios e bicadas, chuva de asas,

e eu sem pão para dar, tão somente

deixo-os vir. Talvez

seja isto uma árvore,

ou quem sabe,

o amor.


Tradução Sidnei Schneider, 2007

Julio Cortázar, Salvo el crepúsculo,

Buenos Aires, Ed. Alfaguara, 1996.

.........................................................


Nem sabia que Cortázar escrevia poesia, se bem que não admira, mas ao contrário de um bom punhado de prosadores que se aventuram por essas veredas, não é que o cara manda bem mesmo? Só podia ser meu querido Julio! E para ele que gostava de gatos, na foto, Capitu.


Um comentário:

CoisasdeMaria disse...

Oii! Pensei que fosse aparecer na livraria... Q xiiique agora tem poema traduzido pelo Sidnei no blog...heheh
BJO