quarta-feira, 23 de julho de 2008

No rastro do verbo alado




Nessa quinta tem verbalada e tem também eu,Fernando e umas garatujas poéticas no Radar da TVE. Seis da tarde.
..........................................................................

um rastro de tristeza
No cerne do meu sorriso
Um quê de melancolia
Nos porões da minha alegria

Se canto
Ou danço
E de meus olhos vertem flores
Trago nas mãos cerradas
Pequenas cápsulas de dores

Beijos guardados nos bolsos
E suspiros de queixume antigo
Meu caminho é branco
E negro
Percorrido por passos ambíguos

Não temo
Nem sou coragem
Navio renegado à deriva
Sem nunca chegar à margem
Pássaro de asa quebrada
Perdido na tempestade

Dolores Davi
.................................................
Este é um dos favoritos da Érica. Saiu na Zero-Hora uma vez.

3 comentários:

Sidnei Schneider disse...

Sobre coisas belas?
A thing of beaty is a joy forever, uma coisa bela é uma alegria para sempre. Legal conhecer teu blog. Abraço

CoisasdeMaria disse...

Tava boa a festa né? Pena que saiu antes...
BJOS

CoisasdeMaria disse...

Ah vi o blog da tua irmã hoje... é muito legal o trabalho dela... gostei bastante!
BJOS e força heheh