sexta-feira, 19 de dezembro de 2008

Dois poemas que são o mesmo para dois leões idem parte I







Silencioso

contempla

a grama


em seu repouso

altivo

parece manso


poderoso

e terrível

dono da savana


de seus passos

não se escuta

o avanço


ágil

arrebata

a presa incauta


saciado

é belo

em seu descanso.

Nenhum comentário: