quinta-feira, 14 de maio de 2009

gosto que me enrosco



eu gosto
que me enrosco
desse colo
desse cheiro
desse pelo

eu adoro
ser um gato
no teu cio

Laurene Veras
................................................
Este poeminha é só porque estava na aula e ouvimos uma música que tem justamente esse título, "eu gosto que me enrosco", daí me lembrei imediatamente desse poema e pensei, nossa, eu gosto desse poemeco, de quem é mesmo? Dã, é meu, rs. O que eu tenho de linhas perdidas na minha cabeça de porongo dava um bom punhado de coisas. Gosto especialmente do ritmo dele. Enfim, não é a quintessência da poesia, mas é meu e eu gosto dele.
.................................
A ilustração, mais uma vez, da minha ilustradora favorita, a incomparável Lupe.

Um comentário:

Manu disse...

Me fizeram notar como a palvra "murrinha" é murrinha. É isso aí.

Acredito que, na origem,
o significante não era separado do significado,
a poesia não era distinta da alma,
e a palavra não vivia à parte de seu conceito.

Lembrei desse poema,
tem algo assim,
o "eu gosto/ que me enrosco/ desse colo"
é uma sequência toda gostosa e enroscada no colo.