sábado, 16 de maio de 2009

Os Aleixos



Uma mosca sem valor
poisa c’o a mesma alegria
na careca de um doutor

como em qualquer porcaria.


António Aleixo

................................................

Poema de António Aleixo, o "poeta cauteleiro". Poeta português morto em 1949, semi analfabeto, satírico, crítico, Aleixo foi recentemente aventado como inspirador do nome de um dos grandes filósofos da pós- modernidade, Bruno Aleixo. A hipótese baseia-se na similitude entre o título de uma das obras do primeiro, "Este livro que vos deixo", e um dos hits internéticos protagonizado pelo segundo, chamado " Bruno Aleixo e os conselhos que vos deixo". O primeiro Aleixo tem uma verve poética crítica e singular, enquanto o segundo é provocativo e algo temerário em seus famosos aforismas, como por exemplo, "os homens que usam brincos são drogados", ou quando, em documento de sua época de escolar, discriminava o colega Ramiro apenas pelo fato deste ser "repetente". Diferenças à parte, ambos os Aleixos partilham de curiosas coincidências biográficas além da irreverência de pensamento e do sobrenome. António Aleixo faleceu aos 50 anos vítima de tuberculose, e Bruno teria falecido aos 51 anos, aparentemente vítima de uma complicação da pilosidade que por toda sua vida fora uma característica marcante em sua figura polêmica. Há entretando rumores de que Bruno Aleixo não tenha de fato falecido, mas antes apenas viajado ao Brasil em visita a parentes. A relevância destas informações neste blog justifica-se pelo reconhecido talento literário de António, e pela febre causada por causa do humor inusitado de Bruno Aleixo, o cantador das janeiras.

Mais Bruno Aleixo aqui.

............................................

Nas fotos, Bruno Aleixo na escola e abaixo o poeta António Aleixo.


2 comentários:

Lisiane V disse...

que baita pesquisa que tu fez, dos Aleixos. Muito bom texto, esclarecedor, que nos apresenta melhor o contexto dos sujeitos em pauta.
beijooo!

Laurene Veras disse...

Obrigada Li, sem dúvida um perfil imprescindível para a epistemologia contemporânea, especialmente do ponto de vista ontológico. Vlw!