segunda-feira, 24 de agosto de 2009

O Continente sob a luz da psicanálise

Amanhã na Saraiva do shopping Moinhos tem uma palestra mt legal sobre o Tempo e o Vento. Como estou estudando a obra esse semestre não quero perder, e deixo aqui o convite pra quem, como eu, concorda com o Juvenal Terra quando dizia sobre o Capitão Rodrigo que "o diabo do homem tem feitiço!". Vou e aproveito pra confrontar minhas teses do Hospício Itinerante, segundo as quais o Pedro Missioneiro era esquizofrênico; o Capitão Rodrigo Cambará, aquele homem encantador e endiabrado, bipolar; o Bolívar Cambará, filho do capitão, um ansioso crônico; a mulher do Bolívar, Luzia - apelidada pelo dr Winter de Teiniaguá - era histérica; o Licurgo era só mais grosso que dedão destroncado mesmo, rs, mas o filho dele, o Dr Rodrigo Terra Cambará, um egolátra patológico, mas esse ainda to submetendo a estudo de caso, rs.
Em defesa da Teiniaguá, deixo dito que tive pena dela. Uma mulher que estudou na côrte presa naquele fim de mundo de Santa Fé só podia ficar lelé, até eu ficaria, se eu de fato já não fosse...

Um comentário:

Lisiane V disse...

Excelente análise, além de divertir aos sisudos de plantão.
Eu adoro a Luzia, acho que ela representa o exílio de ser mulher como ela queria, ficou lelé para salvar do meio que foi jogada.
Ótimo!
beijoo