terça-feira, 3 de novembro de 2009

A Luz do Dia


Aproveitando que estamos em plena Feira do Livro de Porto Alegre vou deixar uma dica de leitura que há uns anos atrás se encontrava nos saldos por muito pouco e que vale muito muito. "O amor de Pedro por João ou O dia em que Dorival encarou a guarda". É um nome comprido mas é esse mesmo. Esses dias a professora Regina Zilberman, que está ministrando uma disciplina sobre literatura e memória, nos pediu para ler este romance do gaúcho Tabajara Ruas e devo ter dado um pulo na cadeira, seria a terceira vez em que eu acompanharia as aventuras e tragédias de Marcelo, Hermes, Micuim e Bia. A incrível viagem de Sepé e do velho João Guiné rumo a um encontro heróico e incerto. A tensão de Dorival, Aninha e Alemão em Santiago do Chile. O orgulho e a dúvida de Josias - "O nome dele é Sepé Tiarajú, a Luz do Dia!"-, o idealismo e a loucura do padrinho Degrazzia. É uma estória sobre luta, política, liberdade, barbárie, mas essencialmente, é sobre amor, não especificamente o amor romântico, mas um amor ainda maior porque abarca também esse. Ouso dizer que é a história daquele amor pela vida ao qual o próprio capitão Rodrigo Cambará do Érico Veríssimo sempre se referia, aquilo que fazia a ele e gerações depois ao Doutor Rodrigo Terra Cambará dizerem: Como é bom estar vivo!
Se um dia nos encontrarmos, como um leitor atento, ele lerá nos meus olhos que a boa literatura tem muito a ver com esse entusiasmo dionisíaco de um João Guiné. Que ler os romances dele é apaixonar-se genuinamente por um livro. Que um ato de leitura, é sim, um ato de amor.
Leia, e lembre-se.

Nenhum comentário: