terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Um papo-cabeça no inferno



Eu não ia escrever sobre este filme, mas como tava até agora tentando entender, lá vai. Como filme de suspense e terror funcionaria bem, se essa fosse a vocação e a intenção do diretor, é um filme medonho, de fato.
Não tem pé nem cabeça, ou melhor, tem algumas partes do corpo humano sim, em algumas cenas em belas performances, em outras vc sente vontade de arrancar os próprios olhos. Há momentos em que parece que a estória vai fazer algum sentido, e mais uma vez eu invoco O Filósofo, Aristóteles, quando diz que a composição, mesmo quando inconstante, tem que manter uma constância na inconstância. Nosso amigo Lars não faz isso. É um saladão mesmo. Bizarro, violento, e frustrante. Sabe, falta aquele "jenecequá" pra ser bizarro, violento e um baita filme. Não sou moralista, sexo, satanismo, o diabo a quatro e o diabo de quatro não me chocam.
“Trabalho para mim mesmo. Não devo satisfação a ninguém. Não tive escolha (ao fazer o filme). Foi a mão de Deus, eu temo. E eu sou o maior diretor de cinema do mundo. Não sei se Deus é o melhor Deus do mundo”.
Quanto ao não dever satisfações, daí eu concordo e assino embaixo, assiste quem quer, por sua conta e risco.
O Anticristo de Lars Von Trier é mais ou menos como se os internos de Arkham se reunissem para montar uma peça de natal. Ok, pensando bem, com um bom roteirista até isso daria uma bizarrice valiosa. Não é o caso do filme.
A coletiva com a imprensa durante a qual surgiram estas curiosíssimas assertivas metafísicas vc pode ver aqui.
Sabe, se eu fosse Deus eu mesma teria medo de tentar olhar dentro da cabeça do Lars Von Trier, deve ser uma espécie de laboratório do inferno dirigido por demônios antropomórficos com as cabeças daqueles peixes das regiões abissais dos oceanos.
De qualquer modo, ponto para o cara quando diz "Não sei se Deus é o melhor Deus do mundo. " , porque vamos combinar, né, num mundo como o nosso, esse tal de Deus não deve realmente ser lá essas coisas...


Um comentário:

bastaestarvivo disse...

é não deve mesmo né, pq esse mundo é bem mal-feitinho, verdade seja dita...