sábado, 13 de março de 2010

Como a corrente de um cão furioso



Rebento
Elis Regina
Composição: Gilberto Gil

Rebento, substantivo abstrato
O ato, a criação e o seu momento
Como uma estrela nova e sedu barato
que só Deus sabe lá no firmamento
Rebento, tudo que nasce é Rebento
Tudo que brota, tudo que vinga, tudo que medra
Rebento raro, como flor na pedra
Rebento farto, como trigo ao vento
Outras vezes rebento simplesmente
No presente do indicativo
Como a corrente de uma cão furioso
Com as mãos de um lavrador ativo
Ás vezes só porque fico nervosa
Eu Rebento
ou necessariamente só por que estou viva
Rebento
A reação imediata
A cada sensação de abatimento
Eu Rebento
O coração dizendo bata
A cada bofetão do sofrimento
Eu Rebento
Como um trovão dentro da mata
E a imensidão do som desse momento

Um comentário:

izabel disse...

vou responder por aqui... pode postar a foto sim, vai ser lindo. beijones