sábado, 13 de março de 2010

Flor na pedra


ontem um poema rebentou dentro de mim

já era semente havia tempo e eu

deliberadamente o ignorei

mas nasceu mesmo assim

e subindo pelo

esôfago sufocava a negação


fui dormir na esperança

de que ele voltasse para a semente de onde veio


hoje acordei com um poema entalado na garganta

queria gritar mas se o fizesse ele ganharia o mundo

e é o meu poema secreto então medra por meus poros

e eu sufoco ao poucos


talvez eu deixe de ser por causa deste poema

talvez ele se liberte e tome o meu lugar

e ninguém nunca vai saber

que é verso

que cresceu no meu querer

sem a minha permissão

e que sem meu consentimento brotou

talvez nunca ninguém saiba que ele me substituiu

e que teu nome foi a semente sussurrada em meu estertor


Laurene Veras

........................................................

Ilustração de John Bauer. Dica da mestra Lupe.

Um comentário:

Lisiane V disse...

coisas de fazer o poema ganhar o mundo. todos ganham, é de arrepiar e sempre bom, tudo isso.