sexta-feira, 13 de maio de 2011

Desapego

Esta língua
que diz o que pensa
mas cala o medo
da desavença:
toma, é tua

esta mente
sempre do contra
tão diferente
teimosa, revolta:
pega, é tua

estes olhos
que vêem o que enxergam
e não o que querem
estes olhos filtros de verdades
que tanto te ferem:
aceita, são teus

a mim, resta a liberdade
e meus passos
tu ficas só
eu alçarei vôo
eu, e meu pés
irremediavelmente ateus.

Laurene Veras

Nenhum comentário: