quarta-feira, 8 de agosto de 2012

poema para uma noite de agosto




Para Raquel Pianta

sobretudo a insensatez
e a neblina

e ainda mais
a embriaguez
as linhas não retas
as sentenças incertas

entretanto o nada

as tabernas fechadas
e a fachada
daquelas
pernas cruzadas

Laurene Veras

Nenhum comentário: