sexta-feira, 25 de dezembro de 2015

invenção

se te penso
e te imagino
e muito

é por que és a ideia
a palavra
a ameia
na muralha
por onde espio
teus exércitos
teus meninos
fantasiados
de soldados

se te chamo
e te grito
e te reclamo

é por que és
o cheiro do café
na manhã solitária
o primeiro abrir de olhos
o sempre riso na pantalha

e te poemo
e sonho
percebo
e penso
essa breve melodia
uma quase surpresa

uma pequena
aleivosia
que cometo
contra minha
fortaleza

Nenhum comentário: